O valor da História


A nossa História é essência de quem somos, é o registo do nosso percurso, que nos faz crescer, mudar, evoluir. Sem História não éramos o que somos, não havia memória, não havia legados, não havia conquistas, não havia... nada.
Muitas vezes menosprezamos pequenos apontamentos históricos, não lhes damos valor, mal-tratando, vandalizando ou simplesmente não cuidando. Não cuidar também é desrespeitar essa memória e aquilo que ela contribuiu para o presente que conhecemos.

As coisas são sempre resultado de uma série de acontecimentos, uma cadeia sem fim que efeito a efeito produzem um grande cenário: o presente. Efeito borboleta ou não, com sentido de "destino" ou não, cada acção de um agente provoca uma resposta de outro. A História é escrita assim, numa relação infinita de causa-efeito, e resta-nos apenas aprender com ela e perceber que efeitos produzem outros.
Conhecimento. Conhecimento vem da História, e é por isso que lhe devemos tudo, já que sem conhecimento seriamos ainda meros primatas.
Às vezes questiono-me o que fazemos a esta História. Esquecemo-nos dela? Onde está tudo o que aprendemos com tantos milénios de existência? Vemos as notícias e rapidamente constatamos que pouco ou nada utilizamos dos conhecimentos que adquirimos desde sempre. Não queremos ver? Perdemos conhecimento pelo caminho? Ou simplesmente deixámos de o saber utilizar?
Não tenho respostas e acho que nunca irei ter. Mas seja como for, nada como receber uma boa notícia no que respeita à memória do nosso país para acreditar que ainda há algum respeito pelo património, pela História.

Foi ontem anunciado que as obras do Palácio Nacional da Ajuda vão ser concluídas, 222 anos depois do início da sua edificação. Finalmente uma decisão realmente digna de reconhecimento!
É verdade que não é sinónimo de concluir os projectos iniciais da obra, mas é uma forma de reconhecer o valor do Palácio, a sua memória e acrescentar-lhe aquilo que o presente também poderá oferecer ao futuro. Deste novo projecto de recuperação que conclui a obra, vai ser contemplada a criação de um espaço para a exposição permanente das jóias da coroa portuguesa, um espaço que será certamente digno de enumeras visitas.
A conclusão das obras está prevista para o final de 2018 e são resultantes de um acordo entre o Ministério da Cultura, a Câmara Municipal de Lisboa (CML) e a Associação de Turismo de Lisboa (ATL), essencialmente financiadas pelas verbas obtidas com a nova taxa turística de Lisboa.

Sem comentários :

Enviar um comentário

Instagram