Nuances de um Quarto (ou de uma vida)

Além de uma grande festa, os meus pais presentearam-me com um extreme makeover ao meu quarto.
No momento em que os meus pais construíam a nossa casa há mais de 20 anos atrás, eu lembrei-me de aparecer por estes mundos e por isso, o meu quarto teve que ser meio que inventado. Daí resultou o "pequeno quarto da porta branca", o meu realmente pequeno cantinho.

Tenho bastante amor ao meu quarto. Sempre foi o meu quarto. Desde o meu primeiro ano que aquele é o meu quarto. É compreensível, já que se pode imaginar a quantidade de memórias guardadas pelas suas quatro paredes. Agora, aos meus 20 anos, o meu quarto vai mudar. Vai ficar maior. Deixa de ser o meu "pequeno quarto da porta branca" para ser o meu quarto numa versão alargada, renovada, adaptada.

Pode parecer ridículo a forma como a simples mudança de um quarto nos pode afectar. Mas deixa-me a pensar além do cimento, da tinta e do soalho. Não é só o "aumentar o quarto", é também o que significa haver essa necessidade. As coisas mudaram em 20 anos, já não sou um bebé, e por isso preciso de um espaço adaptado à nova realidade. Não, não me vou casar, não estou grávida nem nada que se pareça, mas um dia vou estar. Assim, as mudanças começam agora que estou no meu último ano da faculdade e inicio a década das grandes mudanças (pelo menos assim espero).

Sem comentários :

Enviar um comentário

Instagram